Cyberbullying – Vamos Conversar?


O tema de hoje pode parecer batido, pode parecer lugar comum, mas não é. “Vamos Conversar?” de hoje vai falar sobre bullying. [Música] Muito se fala, pouco se sabe sobre bullying e cyberbullying. O bullying requer alguns elementos primários para de fato existir. O bullying é um fenômeno social que requer um agressor, um agredido e platéia. Por isso, não se pode e não se deve trabalhar de forma isolada, o bullying. Eu não preciso trabalhar o agredido, eu não preciso trabalhar o agressor. É muito mais valioso trabalhar a platéia. Então, vamos lá, pensem comigo: se nós trabalharmos com as crianças, desde pequeninhos, até os adolescentes, até os adultos, a questão do respeito, eu não vou precisar trabalhar o bullying. O bullying ele se instala em locais e em momentos onde falta respeito, onde falta tolerância. Escolher atributos físicos, emocionais ou quaisquer que sejam esses atributos, para ferir alguém, para desvalorizar alguém, caracteriza o bullying, desde que seja em momentos repetidos. Se eu trabalhar, com essas crianças, outras questões e outros valores, o bullying fica esvaziado. Não, nós não devemos trabalhar o bullying porque é ilegal. Nós devemos trabalhar o bullying porque isso não se faz. Nós devemos trabalhar o bullying falando de empatia porque se eu estivesse no lugar do outro, talvez não eu não fizesse. Existe um ponto muito, muito importante também para a gente conversar: quem pratica bullying, geralmente, tem uma insegurança, geralmente, sofreu, por algum motivo, alguma agressão. Seja em casa, seja na escola, seja no trabalho, onde quer que seja. Então, não se trabalha o bullying. Trabalha-se com o jovem, o respeito. Da mesma maneira, o cyberbullying. Cyberbullying é o bullying que acontece virtualmente, onde o agressor, normalmente, escolhe e compartilha ofensas ou comentários maldosos. Para aquele que é agredido, isso vai para todo lugar. Isso não some nunca. Então, a ideia, também com o cyberbullying, é mostrar como você se sentiria se aquilo fosse feito com você. Bullying e cyberbullying não se trabalham em consultório. Bullying e cyberbullying devem ser trabalhados no contexto onde aparecem. Da mesma maneira que o bullying deve ser trabalhado na escola, quando se trabalha valores, o cyberbullying. Não se trabalha com uma criança, não se trabalha com um jovem, trabalha-se com todo mundo. O bullying é tratado como uma questão de valor. Vamos experimentar trabalhar com valores de forma positiva e não valorizando a falta disso. Vamos trabalhar o respeito, vamos trabalhar a tolerância, vamos trabalhar a diversidade, e não a intolerância, e não o desrespeito. Talvez essa seja uma forma mais branda, muito mais positiva de se trabalhar com um fenômeno tão amargo e dolorido como bullying. No próximo “Vamos Conversar?”, o tema também vai ser do seu interesse. Vamos lá. [Música]